Venda a Descoberto de Penny Stocks Antes Que a SEC Te Atrapalhe

O LiveStock é amanhã, 1-2PM EST. Acesse AQUI, vai ser incrível!

Ontem eu escrevi 2 artigos sobre o que pode acabar se tornando uns US$ 250+ milhões, o maior pump e dump de penny stocks de todos os tempos, em que a SEC acusou os empresários da Spongetech Delivery Systems Inc. (SPNG) de fraude… veja meus artigos AQUIAQUI.

Muito menos comentado foi o fato de que a SEC também acusou os operadores de um suposto pump e dump de $8 milhões por trás da Emergent Health Corp. (EMGE). Mesmo que esse pump e dump tenha sido menor, os assinantes do TIMalert e do PennyStocking Silver lucraram mais de US$m10,000+ realizando venda a descoberto com essa ação (e o CEO tentou me difamar em um blog post, mas acabou revelando a investigação da SEC sobre a empresa, ops!)

Mas isso não é mais importante, já que ambos os supostos pump e dumps (palavras da SEC, não minhas) já passaram… aquele período de algumas semanas em que eu previ 3 interrupções de trading seguidas pela SEC… o que você pode fazer agora é assinar uma das minhas 4 newsletters ou adquirir um dos meus 10 pacotes de DVD educativos, onde eu ensino a minha estratégia de forma completa.

Mais interessante ainda é o meu Pacote de DVDs com mais de 10 horas sobre Como Ler Arquivamentos Da SEC, já que ele contém um vídeo de  45 minutos que eu gravei no verão de 2009, falando da minha pesquisa sobre a SpongeTech, meses antes de ela ser descoberta pela SEC e pelo NY Post.

Faça o download da versão PDF deste post.

Você pode aprender a perceber as movimentações antes da mídia, que é muito lenta, e antes dos órgãos reguladores, também.

Comece lendo este incrível blog post do ShareSleuth, que oferece toneladas e toneladas de penny stocks promovidos como a Spongetech, a Mesa Energy Holdings Inc. (MSEH), a NXT Nutritionals Holdings Inc. (NXTH), a Perf Go Green Holdings Inc. (PGOG) e todos aqueles relacionados a elas de forma suspeita.

(A MSEH me colocou em um arquivo da SEC e conversou com repórteres, praticamente me culpando pela quebra da ação… assim como a NXTH publicamente me culpou no Huffington Post… esse artigo do ShareSleuth nos mostra que aqueles que sabiam sobre o que estava acontecendo com a MSEH podem ter conseguido 6 milhões de ações… isso é um pagamento de US$ 10-20 milhões… a desprezível MSEH e seu CEO, Randy Griffin, deveriam sentir vergonha disso e me mandar um vale presente para o Per Se pela sua estupidez/incompetência).

Então, para responder o título deste blog post: SEMPRE desconfie de penny stocks incentivados. SEMPRE desconfie daqueles que trabalham para penny stocks incentivados. Todos eles têm conhecimento dos incentivos ou não conhecem as regras do jogo.

Aqui está um artigo que você PRECISA LER para abrir seus olhos e perceber a conexão existente entre toda a escória que está presente na indústria:

Ação de empresa de energia tem alta e então sofre queda, enquanto incitadores atraem e grandes acionistas vendem
por CHRIS CAREY

A Mesa Energy Inc. já havia disponibilizado suas ações publicamente quando realizou uma fusão inversa com outra empresa, algo pequeno que começou sua vida com o nome de Mesquite Mining Inc.

O estranho acordo que ocorreu no mês de agosto levou a empresa de Dallas, Mesa, a passar dos Pink Sheets ao mercado OTC.  Assim, trouxe a ela o financiamento necessário para realizar uma compra promissora no ramo de gás natural no oeste de Nova York, disse o CEO, Randy M. Griffin.

O acordo também colocou 14 milhões de ações baratas – e livres para o trade — da empresa conjunta, Mesa Energy Holdings Inc. (OTCBB: MSEH.OB), nas mãos de quatro acionistas da Mesquite Mining. Uma investigação do Sharesleuth descobriu que um deles possuía uma parceria limitada conectada a um criminoso condenado — um ex-corretor de ações barrado do mercado de títulos por conduzir um esquema de fraude e manipulação, algo que custou mais de US$ 100 milhões aos investidores.

Esse ex-corretor, Samuel DelPresto, possui uma ligação próxima com Adam S. Gottbetter, um advogado de Nova York e banqueiro cujas empresas lidavam com títulos da Mesa e arranjavam seus financiamentos. DelPresto e Gottbetter também possuem ligações antigas com a Corporate Evolutions Inc., consultora de investimentos da Mesa.

Os arquivos da SEC mostram que uma das empresas de Gottbetter estava presente entre as quatro que saíram da fusão reversa da Mesa. Cada uma delas ficou com 3.5 milhões de ações no negócio. Juntas, elas possuíam 36% das ações da empresa. Baseado em um arquivo de posse da semana passada, essas quatro empresas venderam pelo menos 6 milhões dessas ações.

As ações da Mesa aumentaram em 7 vezes o seu valor original entre 14 de dezembro, quando as primeiras ações entraram no mercado OTC, e 23 de março, quando elas atingiram a alta de $3.50. A esse preço, a empresa alcançou uma capitalização de mercado de $140 milhões. Cerca de 809% de lucro em 8 meses.

No último mês, o volume de ações movimentadas da Mesa passou de 1 milhão por dia, graças, em parte, a sites (veja exemplos aqui e aqui) e panfletos que estiveram embelezando a empresa e suas expectativas futuras.

A Mesa também buscou aumentar tanto a sua visibilidade quanto sua credibilidade ao eleger o Governador de Nova York, George E. Pataki, para o cargo de presidente do seu recente conselho consultivo.

O Sharesleuth percebeu que o trabalho de promover as ações da Mesa envolveu diversos indivíduos e empresas que já haviam aparecido em nossas investigações.

A mais recente versão de um dos panfletos, produzido pelo editor de newsletter, Jarret B. Wollstein, observa que eles foram produzidos e distribuídos pelo custo de $700,000+, usando o dinheiro fornecido por um acionista não identificado da Mesa.

A Mesa publicou um comunicado no dia 9 de abril, dizendo que ela não havia aprovado, autorizado, incentivado ou financiado qualquer relatório independente sobre a mesma. Suas ações fecharam a semana em US$ 1.40, longe do seu valor de US$ 2.67 no início do mês.

(Declaração: Nenhuma pessoa associada ao Sharesleuth.com possui qualquer posição, short ou long, em qualquer ação mencionada neste artigo).

DelPresto, Gottbetter e a Corporate Evolutions trabalharam em conjunto na criação, financiamento e promoção de outras empresas públicas pequenas que tiveram súbitas valorizações em suas ações, seguidas por grandes quedas.

Dois exemplos disso são a Kentucky USA Energy Inc. (OTCBB: KYUS.OB) e a Charys Holding Company Inc. As ações da Charys passaram de meros 21 centavos em 2005 para uma alta extrema de US$ 10.75 em 2006, antes de a empresa quebrar e afundar sob o peso de inúmeras aquisições, indo a falência.

O Sharesleuth descobriu que o acordo da fusão reversa da Mesa era praticamente igual ao que a Kentucky USA usou para realizar sua oferta pública em 2008. As empresas-fantasma usadas em ambas as transações possuíam o mesmo advogado e o mesmo auditor. Cada uma delas vendeu a mesma porcentagem de suas ações, com o mesmo preço, para investidores que acabaram se tornando donos de uma parte substancial da empresa conjunta por uma quantia mínima de dinheiro.

As ações da Kentucky USA mais que duplicaram no mês seguinte ao acordo. Elas quebraram com a mesma velocidade e continuaram com uma longa e estável queda.

Gottbetter é um jogador bastante promissor no mundo das fusões reversas e de financiamentos PIPE (investimento privado em equidade pública). O Barron relatou ano passado que promotores federais em Nova York estavam investigando se Gottbetter e um sócio manipularam as ações de outro cliente de suas fusões reversas, a Alternative Energy Sources Inc. (Pink Sheets: AENS.PK). Essa empresa de etanol fez sua oferta pública em 2006 e finalizou suas operações em 2008.

Gottbetter negou as acusações, chamando a história de “um trabalho mal feito” em uma resposta enviada àquela publicação.

OS NEGÓCIOS DA MESA

A Mesa, que está em operação desde 2003, possui holdings de gás e de petróleo em Nova York e Oklahoma. Seu principal foco é o desenvolvimento de propriedades na formação Marcellus Shale, um grande e promissor reservatório que se estende entre Nova York e Virgínia.

A Mesa possui, atualmente, 19 poços no oeste de Nova York, parte de um pacote de concessões minerais de 3,235 acres comprado por US$ 440,000 em 31 de agosto. Esse investimento e seu potencial são a base da capitalização de mercado atual da empresa, de cerca de US$ 56 milhões.

A Mesa teve uma receita de US$ 16,639 no ano passado, o que representa quatro meses de produção dos seus poços de Nova York, de acordo com o relatório anual entregue a SEC na semana passada. Ele anunciou uma perda de US$ 1.93 milhões e finalizou 2009 com caixa de apenas US$ 267.141.

A Mesa arrecadou um adicional de US$ 665.000 através de Gottbetter em janeiro para cobrir a fase inicial de desenvolvimento em Nova York, conhecida como Java Field. A empresa disse em seu relatório que precisa de US$ 4 milhões para custear a próxima fase e que planeja arrecadar entre US$ 8 e US$ 10 milhões em capital novo no trimestre atual.

Para auxiliar seu desenvolvimento em Nova York, a empresa indicou diversos políticos e conselheiros influentes. A lista inclui Pataki, o ex-senador do estado Nicholas A. Spano e o antigo funcionário ambiental da cidade de Nova York, Robert C. Avaltroni.

A Mesa disse em um arquivo da SEC que ofereceu a Pataki a opção de comprar 224.000 de suas ações, ao preço de mercado vigente no dia do acordo. Até semana passada, Pataki era visto como um provável candidato republicano para o assento do Senado pertencente hoje ao democrata Kirsten Gillibrand. Entretanto, foi informado ao Wall Street Journal que ele não entraria na disputa e, em vez disso, se tornaria o presidente de uma organização chamada Revere America, cujo primeiro projeto seria uma campanha para revogar a recente reforma federal da legislação da saúde.

A Mesa disse no mês passado que poderia furar até 80 poços a mais em seu território e que a consultoria de um engenheiro descobriu que seu campo poderia produzir mais de $400 milhões em gás natural. O relatório foi preparado por Jeffrey A. Chadwick, outro membro do conselho consultivo da empresa.

OS ACIONISTAS

A Mesa possui 40 milhões de ações em circulação. Griffin e outros dois executivos possuem 20.5 milhões delas que estão sujeitas a um contrato de bloqueio. Isso significa que a maior parte das ações no mercado vieram dos acionistas da antiga Mesquite Mining — uma explicação que Griffin não negou em uma entrevista com o Sharesleuth.

“Se você pretende construir uma empresa, a liquidez precisa vir de algum lugar”, ele disse.

De acordo com os arquios da SEC, esses acionistas foram:

— Marlifran Investments LLC, da Holmdel, N.J. Arquivos da corporação estadual listam a residência de DelPresto como o endereço da empresa e sua esposa, Michelle DelPresto, na sessão que identifica os funcionários da empresa, seus diretores ou membros. Entretanto, a lista caracteriza o título dela como “outro”.

— Gottbetter Capital Group Inc., de New York. Arquivos da SEC identificam Adam Gottbetter como o seu presidente.

— NBM Investments LLC, de Henderson, Nev. Arquivos da empresa listam Nathan B. Montgomery como seu gerente.

— Theory Capital Corp., de Las Vegas. Arquivos da empresa listam Derek Carbajal como seu presidente.

De acordo com o relatório anual da empresa, os executivos da Mesa são os únicos investidores que possuem, atualmente, mais de 5% das ações da mesma. Se essa informação está correta, significa que Marlifran, Gottbetter Capital e outras duas entidades venderam, pelo menos, 1.5 milhões de ações cada — ou um total de mais de 6 milhões de ações — para reduzir seus arrendamentos abaixo desse limite de posse.

Os arquivos da SEC de Mesquite Mining nunca identificaram essas empresas como acionistas. Os arquivos diziam que, em abril de 2008, a empresa vendeu 1 milhão de suas ações em um processo privado por US$ 25,000, ou 2.5 centavos por ação.

A Mesquite Mining mudou seu nome para Mesa Energy Holdings em junho, preparando-se para a fusão reversa que estava sendo negociada. Seu conselho autorizou uma divisão de 14-ações-por-1 em agosto, algumas semanas antes do acordo ser fechado. Isso reduziu o preço por ação da quantia original de 1 milhão de ações para menos de dois décimos de centavo cada.

Beverly Frederick, listado nos arquivos da SEC como o presidente da Mesquite Mining, se recusou a responder as perguntas do Sharesleuth sobre a empresa e suas transações. Ela nos referiu a Gottbetter, que não respondeu a lista de perguntas.

DELPRESTO

DelPresto (cujo sobrenome pode aparecer como Del Presto) esteve envolvido com Gottbetter em, pelo menos, 10 empresas públicas, como mostram os arquivos da SEC.

Ele estava listado como o contato da Corporate Evolutions em um comunicado do ano passado de outro cliente seu, a Nevada Gold Holdings Inc. (OTCBB: NGHI.OB) — até ser realizada uma correção que colocou o nome de outra pessoa em seu lugar. Gottbetter representou a Nevada Gold quando a empresa se tornou pública em uma fusão reversa em dezembro de 2008.

DelPresto trabalhou para duas corretoras ditas “boiler-room” nos anos 90, a Hibbard Brown & Co. e a L.C. Wegard Inc. Autoridades federais disseram que ambas as empresas eram controladas secretamente por Robert E. Brennan, que hoje serve uma pena de 12 anos por fraude, lavagem de dinheiro e obstrução de justiça.

DelPresto foi um dos oito gerentes e corretores da L.C. Wegard indiciados, em novembro de 1997, com acusações de fraudar clientes ao usar táticas de pressão para vender ações de alto risco, cujos preços estavam sendo manipulados.

Dezesseis pessoas foram sentenciadas por sua conexão com o esquema. DelPresto, que era um corretor e gerente assistente, alegou ser culpado para reduzir a pena de conspiração para cometer fraude de concordou em cooperar com as autoridades. Ele foi condenado a seis meses de prisão domiciliar, em 2000, e três anos de liberdade condicional.

A SEC também o barrou de se associar a qualquer corretora de ações. DelPresto não respondeu a lista de perguntas enviadas pelo Sharesleuth.

OS INSTIGADORES

A Corporate Evolutions, que possui sede em Great Neck, N.Y. e descreve a si mesma como “o melhor serviço de concierge na indústria financeira”, está administrando as questões relacionadas à mídia e aos investidores da Mesa.

A Corporate Evolutions é um alter ego da New Century Capital Consultants Inc., cujo presidente, Stephen E. Apolant, foi acusado de fraude pela SEC em relação a um esquema de “pump e dump” de 2001.

O site da Corporate Evolutions foi espelhado no site da New Century Capital Consultants.

A SEC supôs que Apolant ajudou a preparar comunicados e pacotes de investimento que continham informações falsas ou enganadoras sobre a Spectrum Brands Corp., que alegou possuir uma lanterna de luz ultravioleta que mataria o anthrax e outros germes nocivos em apenas alguns segundos.

Apolant concordou em resolver as acusações sem admitir ou negar a culpa e, então, retirou essa oferta e pediu por um julgamento. Apesar de a SEC ter abandonado as acusações contra ele no ano passado, outros quatro participantes do esquema foram indiciados e acabaram na prisão.

Apolant e a New Century Capital apareceram em outra reportagem do Sharesleuth que examinava a escalada e a queda de uma empresa pública chamada de House of Taylor Jewelry Inc, hoje extinta.

A Mesa contratou a Corporate Evolutions pela recomendação de Gottbetter, disse Griffin. A empresa recebeu 150.000 ações da Mesa, parte de uma alocação de 1 milhão de ações mantidas em depósito pela advocacia de Gottbetter, disse Griffin.

A Corporate Evolutions não respondem as mensagens de Sharesleuth.

A Mesa também é mencionada com frequência no BuyIns.net, um site que identifica ações que já foram alvo de venda a descoberto e estão propensas a um aumento de preço enquanto traders cobrem suas posições.

O BuyIns.net é gerenciado por Thomas Ronk, um ex-corretor com histórico de ações disciplinares pela Autoridade Reguladora da Indústria Financeira, incluindo ter sua permissão revogada por não pagar uma multa de US$ 50.000 . Ronk apareceu em uma recente investigação do Sharesleuth sobre a Lenco Mobile Inc. (Pink Sheets; LNCM.PK).

O BuyIns.net anunciou em um relatório no mês passado que mais de 10.7 milhões de ações da Mesa haviam sido vendidos a descoberto em dezembro. Disse ainda que isso contribuiu com a queda do valor da ação. O relatório observou que a Mesa está pagando US$ 995 por mês pelo monitoramento e análise de seus trades.

O relatório do BuyIns.net não falou sobre a venda em massa realizada pelos maiores acionistas da Mesa.

Além de operar o BuyIns.net, Ronk é sócio do ex-presidente da SEC, Harvey Pitt, em outro empreendimento, o RegulationSHO.com.

UM PANFLETO PROMOCIONAL

No começo de março, um panfleto chamado Relatório do Investidor Inteligente começou a aparecer no correio dos investidores. A capa mostrada uma foto do bilionário texano, T. Boone Pickens, cujo império de recursos naturais inclui diversas empresas que também são chamadas de Mesa.

O relatório sugeria que os investidores que seguissem o exemplo de Pickens e investissem no setor de gás natural poderiam “transformar US$ 10.000 em US$ 90.900” e que a Mesa poderia se tornar um “poço de energia de gás natural de US$ 12.5 BILHÕES”.

Investidores relataram receber diversas edições do panfleto, produzidas por Jarret Wollstein. A versão mais recente alegava que uma empresa chamada de Northbound Marketing Group Ltd. havia recebido “dinheiro de acionistas” e pago US$ 714.106 pela criação e produção dos relatórios da Mesa.

Se a Mesa e seus diretores não pagaram por esses relatórios, então os únicos outros acionistas com incentivo econômico para tal seriam as quatro empresas que que obtiveram as 14 milhões de ações na fusão reversa ou outros investidores que houvessem comprado uma quantia enorme dessas ações.

KENTUCKY USA ENERGY

A história da Mesa é similar àquela da Kentucky USA Energy. Assim como a Mesa, ela foi o produto de uma fusão reversa com uma empresa-fantasma da California, Las Rocas Mining Corp.

Os arquivos da SEC que o auditor das empresas-fantasma envolvido em ambos os contratos era George Stewart. O The Vancouver Sun escreveu sobre Stewart recentemente, um contador de Seattle, como a pessoa que assinou os arquivos financeiros de inúmeras empresas suspeitas requisitados por instigadores de ações em British Columbia.

Os arquivos da SEC também mostram que Las Rocas vendeu 1 milhão de suas ações para um grupo de investidores não identificados em maio de 2007 US$ 25.000, ou 2.5 centavos por ação. A empresa realizou uma divisão de 12-ações-por-1 em novembro daquele ano. Ela também mudou seu nome para Kentucky USA Energy em preparação para a fusão reversa.

Os arquivos da SEC mostram que Gottbetter ajudou a facilitar o acordo e que a Gottbetter & Partners e DelPresto depois dividiram US$ 250.000 honorários por encontrar apoios financeiros para a empresa.

Esses arquivos mostram que a Kentucky USA Energy separou 5 milhões de ações para pagar por serviços de relacionamento ao investidor, com a empresa de advocacia de Gottbetter como o agente do depósito.

A Corporate Evolutions tornou-se a representante das relações ao investidor da empresa em maio de 2008.

As ações da Kentucky USA Energy valiam US$ 1,70 em 2 de maio de 2008, o dia em que completou a fusão reversa. Dentro de duas semanas, o volume de trading explodiu para milhares de ações por dia e seu preço mais que dobrou, atingido o máximo de US$ 4,47 em 23 de maio de 2008.

Nos dias que levaram a alta, correspondências de oito páginas começaram a circular, atraindo investidores para a Kentucky USA e prevendo que suas ações poderiam trazer ganhos de 500% ou mais.

Global Investor Watch

As entrelinhas do documento, publicado sob o nome de Global Investor Report, revelou que outra entidade chamada Green Century Capital havia fornecido US$ 2.398.485,50 em compensações pela preparação e publicação do relatório.

Na época em que o relatório foi publicado, a Kentucky USA Energy não possuía renda alguma, nenhuma operação de perfuração e menos de US$ 100.000 de dinheiro em caixa. O aumento no valor de suas ações deu à empresa uma capitalização de mercado de mais de $150 milhões.

O preço das ações da Kentucky USA Energy retornaram ao valor inicial de US$ 1,70 em julho de 2008. Suas ações chegaram ao final da semana passada valendo 34 centavos.

Arquivos da SEC mostram que, desde sua criação até janeiro de 2008 desse ano, a empresa, com base em Londres, gerou apenas US$ 32.360 com vendas de gás natural e acumulou mais de US$ 5 milhões em perdas.

OUTRAS CAMPANHAS PRMOCIONAIS

O Sharesleuth percebeu que o Global Investor Report publicou um perfil muito atrativo para outra empresa suspeita, a Yasheng Eco-Trade Corp. (OTCBB: YASH.OB), no último mês de agosto. As informações reveladas no relatório diziam que a Green Century Capital havia fornecido a mesma quantia compensatória que havia sido listada no relatório da Kentucky USA Energy — US$ 2.398.485,50.

Comunicados de imprensa mostram que a Corporate Evolutions começou a oferecer serviços de relacionamento ao investidor para a Yasheng no mesmo mês que o panfleto começou a circular. Os arquivos da SEC mostram que a Yasheng ofereceu 500.000 ações suas para a Corporate Evolutions em outubro.

O Relatório do Investidor Inteligente, que enalteceu a Mesa, também distribuiu um perfil favorável da NXT Nutritionals Holdings Inc. (OTCBB: NXTH.OB), outro cliente da Corporate Evolutions.

As ações dessa empresa dobraram de valor entre os dias 1 e 8 de fevereiro, atingindo a máxima de US$ 3,22. Eles fecharam o pregão da sexta-feira valendo 56 centavos.

A Corporate Evolutions também foi o consultor de relacionamento com o investidor da Spongetech Delivery Systems Inc. (OTCBB: SPNGE.OB), que revelou em setembro que era alvo de uma investigação formal da SEC por “possíveis violações das leis de títulos e ações pela empresa e/ou outras pessoas’.’

Em 2008, Pataki se juntou ao conselho de diretores da Perf Go Green Holdings Inc. (OTCBB:PGOG.OB). A foto dele foi usada em panfletos publicados por instigadores de ação enaltecendo a empresa, cujas ações se elevaram a mais de US$ 3. Hoje, suas ações valem 5 centavos.

MAIS SOBRE A FUSÃO REVERSA

Usualmente, as empresas que realizam fusões reversas com empresas-fantasma públicas são negócios privados buscando alistamento de ações e acesso aos mercados de equidades. Os acordos são populares no mundo dos penny-stocks, porque se juntar a uma empresa-fantasma normalmente é mais fácil e rápido que passar pelo processo de registro da SEC.

A Mesa descobriu que era “difícil conseguir tração” como empresa de Pink Sheets, disse Griffin, e concluiu que se ela queria arrecadar o capital necessário para executar seu plano de negócios, teria que conseguir acesso ao mercado OTC. Uma fusão reversa com uma empresa-fantasma que já possuía ações na listagem do OTCBB parecia o jeito mais rápido de conseguir isso, ele disse.

A Mesa foi levada a Gottbetter por seus auditores, GBH CPAs PC, uma empresa de Houston que também trabalha com outras empresas de fusão reversa de Gottbetter, disse Griffin.

As 14 milhões de ações que Gottbetter Capital e outras entidades receberam no acordo foram parte da consideração que a Mesquite Mining recebeu, disse Griffin.

“Eles que propuseram o acordo”, ele disse. “Eles ofereceram a empresa-fantasma”.

Os arquivos da SEC mostram que a Gottbetter & Partners LLP representou a Mesa Energy Holdings Inc. na fusão reversa. A Gottbetter Capital Markets LLC atuou como o agente da venda de $1.95 milhões de notas, convertidas para ações pelo preço de $1.50 cada.

Griffin disse não saber sobre o passado de DelPresto e adicionou que ele e seus sócios na Mesa não analisaram a história da Mesquite Mining e seus acionistas ao revisar o potencial do acordo de financiamento.

“É extremamente difícil analisar de perto tudo isso, olhando pelo ponto de vista das pessoas que estão gerenciando uma empresa”, ele disse.

Griffin disse que ele ficou satisfeito com o serviço fornecido pela empresa de Gottbetter e pelos serviços de relacionamento ao investidor fornecido pela Corporate Evolutions. Ele disse que mesmo que o Relatório do Investidor Inteligente tenha parecido ser “muito sobre-estimado”, ele não viu nada no panfleto que fosse “claramente enganoso”.

Griffin insistiu que a Mesa tinha uma chance real de se tornar uma empresa de sucesso.

“Somos uma empresa viável, em uma indústria viável com recursos viáveis”, ele disse.

CHARYS HOLDING

Gottbetter, DelPresto e Apolant estavam envolvidos no desenvolvimento e promoção da Charys, uma empresa de Atlanta que cresceu rapidamente em 2006 e 2007 ao criar negócios em diversos campos, incluindo remediação de desastres e comunicações sem fio.

Arquivos da SEC mostram que as empresas de Gottbetter conseguiram $20 milhões em arrendamentos privados para a Charys, além de comprar algumas das suas ações preferidas e notas de conversão.

Esses arquivos mostram que a Charys contratou DelPresto como consultor financeiro em março de 2006, por US$ 240.000.

Os arquivos dizem que a New Century Capital foi o consultor de relacionamento ao investidor da Charys e identificou Apolant como a pessoa que controlava as ações que a empresa recebeu como compensação. Comunicados a imprensa de 2006 e 2007 listavam um representante da Corporate Evolutions como o contato da Charys.

O Sharesleuth passou um tempo no ano passado investigando os documentos arquivados no caso da falência da Charys. Nós descobrimos que a empresa tinha nada menos que quatro criminosos condenados envolvidos em suas atividades financeiras e relacionadas aos investidores. Três deles, incluindo DelPresto, havia sido acusado por casos de manipulação de ações e o quarto, por conexões com uma rede de troca de informações privilegiadas.

Os advogados de uma entidade chamada de Charys Liquidating Trust entraram com um processo contra DelPresto e três empresas de Gottbetter em fevereiro, em busca do retorno de quase $1 milhão que receberam da Charys.

O processo dizia que DelPresto e uma entidade chamada DelPresto Family LLC não forneceram serviço algum pelos US$ 165.000 que receberam em dois acordos em 2006 e 2007. Nele dizia que um dos acordos em que supostamente DelPresto atuou – uma nota conversível de US$ 20 milhões providenciado pela Gottbetter Capital Master Ltd. – estava “bastante completo” no momento em que foi contratado.

De forma similar, o encargo está em busca de US$ 800.000 da Gottbetter Capital Master Ltd., Gottbetter Capital Finance LLC e Gottbetter & Partners.

A reclamação alega que, três dias antes de Charys completar a venda de uma nota de US$ 175 milhões arranjada por uma empresa de investimentos, o CEO da Charys, Billy V. Ray Jr., assinou um acordo com a Gottbetter Capital Finance, fornecendo um pagamento de US$ 800.000 ao fechar qualquer acordo financeiro de US$ 25 milhões ou mais.

O encargo disse que a Gottbetter Capital Finance forneceu “pouco ou nenhum serviço” presente no acordo porque a dívida financiada estava praticamente terminada. A reclamação ainda disse que o conselho da Charys não estava ciente do acordo e não o havia aprovado.

O Sharesleuth continuará monitorando a situação e relatando qualquer desenvolvimento importante.

Share